ÁGUA BOA

PERIGO

Leopardo ataca oficiais durante operação de resgate na Índia

Nas imagens, o leopardo aparece pulando e arranhando os oficiais, deixando dois feridos

Publicados

Mundo

Uma tentativa de resgatar um leopardo na cidade de Panipat, em Haryana, na Índia, se tornou uma tarefa difícil para policiais e funcionários do departamento florestal. Um vídeo divulgado no Twitter mostrou o momento em que o grande felino atacou os agentes. Apesar disso, muitos usuários criticaram os trabalhadores pelo manuseio do animal.

Nas imagens, o leopardo aparece pulando e arranhando os oficiais, deixando dois feridos. Um deles corre em direção ao grande felino enquanto ele ataca seu colega. Um funcionário do departamento florestal é agarrado e os policiais dão pauladas no animal. O predador furioso também ataca outros oficiais.

O superintendente da polícia de Panipat, Shashank Kumar Sawan, foi o responsável pelo compartilhamento do vídeo no Twitter e escreveu: “Dia difícil no trabalho para as pessoas da polícia e do departamento florestal. Alguns deles sofreram ferimentos… Saudações à sua bravura e coragem… No final, todos estão seguros. Incluindo o leopardo..”

A postagem já atingiu mais de 660 mil visualizações. Alguns usuários também elogiaram os policiais, enquanto outros os criticaram por não terem tomado as precauções antes de ir ao local e pelas agressões ao felino.

Um usuário listou uma série de pontos para justificar seu posicionamento contrário à postura dos oficiais. Segundo ele, os funcionários do departamento florestal foram realizar a operação de resgate sem precaução e não é possível ver nenhum deles no vídeo.

Além disso, o internauta diz que a situação expõe a ineficiência do órgão em lidar com situações contenciosas, já que pessoas treinadas lidaram com o assunto de forma semelhante a [pessoas] comuns. Por fim, ele pontua que faltam equipamentos adequados e medidas de segurança.

Kunal Kapoor, presidente da ONG de bem-estar animal Nayi Pehal Welfare Society, disse ao jornal indiano The Indian Express que o felino chegou a 1,5 km da vila. Kapoor concordou que o procedimento adotado pelos oficiais estava errada, mas acrescentou que era a única opção que eles tinham.

“Enquanto os aldeões estavam em pânico, os oficiais tomaram medidas para capturar e tranquilizar o leopardo. O animal foi transferido para a floresta mais tarde”, disse Kappor.

Fonte: Gazeta Digital
COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Mundo

Pentágono diz que Ucrânia fortaleceu sua força aérea com caças de ’parceiros’

O Kremlin admitiu nesta terça-feira que iniciou sua ofensiva pelo controle de Donbas, polo industrial no leste da Ucrânia

Publicados

em

 Ucrânia recebeu de parceiros caças e peças de reposição para reforçar sua aviação, disse o porta-voz do Pentágono, John Kirby, nesta terça-feira, 19, sem especificar quantos, que tipo de aeronave e sua origem.

‘Hoje eles têm mais aviões de guerra à sua disposição do que há duas semanas‘, disse o porta-voz, enfatizando que os Estados Unidos facilitaram o envio de peças de reposição para o território ucraniano, mas não aviões.

Quando colunas de tropas russas começaram a chegar à Ucrânia há quase dois meses, os EUA e seus aliados começaram a fornecer armas a Kiev para o que muitos esperavam ser uma guerra curta: fuzis de precisão, capacetes, kits médicos, comunicações criptografadas, muitas balas e os mísseis Stinger e Javelin portáteis de ombro que rapidamente se tornaram ícones do conflito.

Desafiando as probabilidades, a Ucrânia manteve sua capital, Kiev, e empurrou a Rússia para o norte. Agora, enquanto o Kremlin muda de marcha e inicia um esforço conjunto para capturar o leste da Ucrânia, Washington e seus aliados também estão adaptando a estratégia, lutando para fornecer aos ucranianos armas maiores e mais avançadas para se defender em uma guerra opressiva.

O Ocidente está focado em enviar armas de longo alcance, como obuses, sistemas antiaéreos, mísseis antinavio, drones armados, caminhões blindados, veículos de transporte de pessoal e até tanques – o tipo de armas que o presidente Joe Biden disse que foram feitas sob medida para impedir ‘o ataque mais amplo esperado que a Rússia lance no leste da Ucrânia‘.

O Kremlin admitiu nesta terça-feira que iniciou sua ofensiva pelo controle de Donbas, polo industrial no leste da Ucrânia.

Depois de atacar 300 alvos na segunda-feira, o comando militar russo intensificou os bombardeios a cidades ucranianas, atacando 1.260 alvos durante a madrugada de hoje em uma linha de frente de quase 500 quilômetros, de Mikolaiv a Kharkiv.

O Pentágono estima que a Rússia enviou à Ucrânia nos últimos dias mais 11 batalhões, ou seja, entre 8 mil a 11 mil soldados. De acordo com os americanos, os russos também contam com milhares de reservistas prontos para se juntar à luta do outro lado da fronteira. Cerca de 75% das forças estariam de prontidão fora do território ucraniano

Fonte: Gazeta Digital

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA