ÁGUA BOA

Geral

Senac oferece vagas para cursos profissionalizantes no Rio de Janeiro

Publicados

Geral

O Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial do Rio de Janeiro (Senac RJ) está com inscrições abertas para cerca de 8 mil vagas em cursos profissionalizantes em várias unidades no estado, por meio do Programa Senac de Gratuidade. Até o final do ano, o número de vagas poderá alcançar 11 mil, disse hoje (5) à Agência Brasil o coordenador da Área de Responsabilidade Social do Senac RJ, Alessandro Oliveira. Não há data limite para as inscrições.

Há oportunidades em cursos presenciais ministrados na capital fluminense e nos municípios de Angra dos Reis, Barra do Piraí, Barra Mansa, Cabo Frio, Campos dos Goytacazes, Duque de Caxias, Macaé, Niterói, Nova Friburgo, Nova Iguaçu, Petrópolis, Resende, Rio das Ostras, Santo Antônio de Pádua, São João de Meriti, Teresópolis, Três Rios e Volta Redonda.

Os cursos oferecidos são nas áreas de gastronomia, turismo, moda, beleza, saúde e bem-estar, gestão, logística, design, audiovisual, entre outros, e podem ser na modalidade de formação inicial, com capacitações mais rápidas, e de especializações técnicas.

“As ofertas de vagas são orgânicas e ocorrem todos os dias no site. A previsão é que, até dezembro, sejam 11 mil vagas no total ou novas vagas.. É importante que a pessoa acompanhe diariamente para ver as novas ofertas ou o curso em que tenha interesse”, recomendou o coordenador.

Baixa renda

Para se candidatar, deve ser preenchido um formulário, disponível no site, definindo o curso escolhido e a unidade do Senac RJ. Também devem ser informados dados pessoais e de renda e condição de aluno matriculado ou egresso da educação básica e trabalhador empregado ou desempregado. É preciso ter renda familiar per capita, isto é, por indivíduo, de até dois salários-mínimos federais, destacou o coordenador.

Leia Também:  Temperaturas devem cair nas Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste

Ao ser selecionado, o candidato deve se dirigir até a unidade do Senac RJ escolhida para fazer a matrícula, apresentando cópias da carteira de identidade (RG), Cadastro de Pessoa Física (CPF) e comprovante de residência. O regulamento está disponível no site. Não há limite para participação por faixa etária, “nem idade mínima, nem máxima”.

Uma vez selecionado, o candidato pode começar imediatamente o curso. “Ele é informado do dia que começam as aulas e já é um aluno nosso”.

Os cursos de formação inicial têm duração de dois a três meses. Já os cursos técnicos são mais longos e se estendem por cerca de um ano e três meses a um ano e quatro meses. Todos os cursos oferecidos são presenciais e gratuitos. Os cursos técnicos são desenvolvidos de segunda a sexta-feira, enquanto os iniciais têm aulas entre duas e três vezes por semana, podendo também ser aos sábados.

Inserção

O Programa Senac de Gratuidade é voltado para a inserção de pessoas de baixa renda no mercado de trabalho, “para que elas possam aprimorar seus conhecimentos técnicos. A gama de ofertas de cursos visa que eles possam ser desenvolvidos e ter acesso a essas formações profissionais”, informou.

Leia Também:  Ana Maria Machado é a entrevistada da série Depoimentos Cariocas

O prpgrama foi criado em 2006, a partir de um acordo firmado pelo Senac com o governo federal, no qual se comprometeu a devolver uma parte do seu compulsório em cursos gratuitos para as pessoas da sociedade que se enquadrem na situação de baixa renda.

Estima-se que, até o momento, mais de 20 mil pessoas tenham se formado em diferentes cursos. Há 76 anos, o Senac RJ atua na profissionalização de mão de obra para o setor do comércio de bens, serviços e turismo no estado do Rio de Janeiro. A instituição de ensino investe em inclusão social por meio de capacitação para o mercado de trabalho e é reconhecida como referência na oferta de cursos profissionalizantes.

Turismo

Criada em parceria com o Senac RJ e a Secretaria Municipal de Turismo, a Escola Carioca de Turismo vai oferecer mais de 3.700 vagas no programa de formação profissional gratuita para trabalhadores do setor, com cursos de idiomas, hospitalidade, serviços, entre outros.

As inscrições são feitas pela internet, no site. Para cursos de capacitação, o candidato deve ser maior de 18 anos e ter ensino fundamental completo. Já para os cursos de qualificação, o pré-requisito é a formação prévia na área.

O início das turmas está previsto para agosto próximo, com aulas presenciais nas unidades do Senac RJ em Madureira, Botafogo, Barra da Tijuca, Copacabana, Campo Grande e Centro Politécnico Riachuelo.

Edição: Maria Claudia

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Geral

Novo imortal da ABL produzirá edições revisadas de grandes clássicos

Publicados

em

Por

O escritor, professor e economista Eduardo Giannetti da Fonseca tomou posse hoje (12), na cadeira de número 2 da Academia Brasileira de Letras (ABL), sucedendo ao filósofo e professor Tarcísio Padilha, falecido no dia 9 de setembro do ano passado. Os ocupantes anteriores da cadeira 2 foram Coelho Neto (fundador), João Neves da Fontoura, João Guimarães Rosa e Mário Palmério. 

Giannetti é referência em temas como ética e filosofia. É autor de diversos livros e artigos, sendo alguns deles traduzidos para outros idiomas. Venceu duas vezes do Prêmio Jabuti: a primeira vez, em 1994, por “Vícios privados, benefícios públicos?” e a segunda, em 1995, pelo livro “As partes & o todo”. Foi vencedor do prêmio Economista do Ano, pela Ordem dos Economistas de São Paulo, em 2004.

No discurso de posse, Gianetti disse que “temos deveres e responsabilidades com os que nos precederam e, não menos, com os que vêm depois de nós. Se a memória é a correia de transmissão do espírito entre o passado e o presente, a imaginação criadora é a ponte capaz de nos conduzir ao futuro. Eis a imortalidade que importa.”

Leia Também:  Temperaturas devem cair nas Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste

Em entrevista antes da posse, Giannetti disse à Agência Brasil que pretende atuar, principalmente, na parte editorial da ABL. “Eu quero ajudar a ABL a produzir edições acadêmicas e comentadas de grandes clássicos brasileiros. Este é o meu projeto”.

O novo acadêmico comentou que muitos autores e obras importantes brasileiras não estão disponíveis hoje em catálogo ou em edições que “façam justiça à importância destas obras para a cultura nacional”. Eduardo Giannetti não quis mencionar, porém, nenhum autor ou obra específicos.

O autor afirmou que existe um déficit na bibliografia brasileira de edições cuidadosas, críticas e comentadas de livros que são primordiais na história cultural e literária. Estão, neste caso, autores da literatura, filosofia e poesia, mencionou.

Estudioso de cultura europeia, Giannetti observa que entre os autores ingleses, por exemplo, existem obras muito cuidadosas, que tornaram-se referenciais. “Todos os estudiosos se reportam à mesma edição, que é canônica. Acho que, no Brasil, a gente ainda vai ter que construir isso”.

Biografia

Eduardo Gianetti nasceu em Belo Horizonte, no dia 23 de fevereiro de 1957. É economista, professor, autor e palestrante formado na Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) e em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), ambas da Universidade de São Paulo (USP). Possui doutorado em Economia pela Universidade de Cambridge (1987). Atualmente é professor da Ibmec Educacional. Foi também professor de economia do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper), da FEA-USP (1988-1999) e da Universidade de Cambridge (1984-1987).

Leia Também:  Sindicato dos guias recomenda suspensão de passeios no centro de SP

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MAIS LIDAS DA SEMANA